Lacca Laboratório
Falub
Farmácia Rangel
Esportes

Naútico se despede do estádio dos Aflitos com empate nos acréscimos


Naútico se despede do estádio dos Aflitos com empate nos acréscimos

NAÚTICO 2 X 2 PORTUGUESA

 Foto: Divulgação
Nos Aflitos. Foram 1.764 jogos. Sendo 1.138 vitórias, 334 empates e 292 derrotas. Números que nesta domingo (2) não fizeram o diferencial para o Náutico. Os alvirrubros se despediram do seu território com um amargo empate, por 2×2, contra a Portuguesa. A  Lusa também precisava do resultado para tentar se livrar da zona do rebaixamento. O último ato no Eládio de Barros
Carvalho não agradou a ninguém.

Com o resultado, as duas equipes que lutavam para sair da incômoda zona do rebaixamento, continuam abraçados no Z4. Náutico somou o primeiro ponto na competição, mas não largou
a lanterna. O seu adversário passou para a 18ª posição.

Na próxima quarta-feira (5), o Náutico visita o Flamengo, às 22h. No mesmo dia, às 19h30, a portuguesa joga dentro de casa, contra o Internacional.

Dois gols na etapa final marcou a despedida do estádio

Não poderia ser diferente, precisando dos três pontos para se livrar da incômoda zona de rebaixamento, Náutico e Portuguesa, figurantes das últimas colocações da Série A, começaram
a partida com força máxima. Logo aos sete minutos, Marcos Vinicius acionou Jones Carioca que na linha de fundo tentou o passe para Caion que não chegou à bola. Antes do primeiro gol da
partida, a torcida alvirrubra tomou um susto. Cañete encontrou Souza em boa posição. O meio campista encheu o pé, mas o arqueiro Felipe fez uma grande defesa à queima roupa.

No lance seguinte, aos 15 minutos, Rogério explode o caldeirão. Após cruzamento de Jones Carioca, a zaga da Portuguesa bateu cabeça e o atacante alvirrubro, livre de marcação, empurrou de cabeça. Após o gol, as duas equipes continuaram trocando pressão. Primeiro o Timbu, aos 20 minutos, Rogério cruzou para Jones Carioca que bateu forte de perna esquerda.

A bola explodiu no travessão do goleiro Glédson. A resposta veio do volante Correa que tentou da entrada da área, mas sem êxito. O que não estava no texto dos alvirrubros é que no minuto seguinte a Portuguesa empataria a partida. O mesmo Correa que havia tentado o empate no lance anterior chegou na linha de fundo e num cruzamento perfeito deixou Michel livre para marcar. 1×1 nos Aflitos.

O placar igual desestabilizou os alvirrubros. A portuguesa, que não tinha nada a ver com a situação, foi criando as oportunidades. Aos 34, Luis encheu o pé canhoto, a bola passou tente a trave do arqueiro alvirrubro. Momento depois o grande susto. O lateral-direito, Luis Ricardo, bate de primeira por cima do goleiro Felipe e a bola ficou no travessão. Sentindo-se pressionado na partida, o treinador do Náutico, Paulo Silas, promoveu uma alteração. Jones Carioca deu lugar para Rodrigo. Nas arquibancadas vaias e grito de “burro”. Para sorte do Náutico, que tomava pressão, a primeira etapa se encerrava. O que seria uma noite de festa terminou com vaias no primeiro momento.

Segundo tempo

A segunda etapa se iniciou da forma que terminou o primeiro tempo, pressão da Lusa. Com mais ímpeto, os comandados de Edson Pimenta foram criando oportunidades. Pelo lado
direito, novamente, com Luiz Ricardo a portuguesa tentou o gol de desempate. A bola passou no lado direito do goleiro Felipe. A partir desse lance, as duas equipes ficaram desordenadas.

Entre tapas e beijos. Vaias e aplausos, os torcedores do Náutico iam se expressando nas arquibancadas. O coro de “queremos jogador” começou a ser unanimidade entre os mais de 15 mil presentes.

Atendendo aos pedidos, Silas promoveu duas modificações, Bruno Collaço e Caion, vaiados, deixaram o campo. O volante Josa improvisado na lateral e João Paulo, garoto da base, entraram em campo. O que já estava ruim ficou ainda pior. Poucos minutos dentro de campo, Romão cobrou uma falta venenosa a bola desviou em Ferdinando e acabou no fundo das redes. 2×1 para a Portuguesa.

Antes do gol de empate do Náutico e do apito final de Dewson Fernando, a torcida alvirrubra cobrava o presidente Paulo Wanderley, com palavras de baixo calão. Para amenizar o vexame, Marcus Vinícius, no último suspiro, aos 47 minutos empatou a partida. 2×2. Fim do último jogo profissional no Eládio de Barros Carvalho.

Ficha técnica

Náutico 2

Felipe; Maranhão, William Alves, João Filipe e Bruno Collaço (Josa); Auremir, Martinez e Marcos Vinícius; Rogério, Jones Carioca (Rodrigo Souto) e Caion (João Paulo). Técnico: Silas

Portuguesa 2

Gledson; Luis Ricardo, Lima, Valdomiro e Rogério; Correa, Ferdinando, Matheus (Romão) e Souza; Cañete (Henrique) e Michel (Moisés). Técnico Edson Pimenta Local: Estádio dos Aflitos (Recife)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)

Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Thiago Gomes Brigido (CE)

Gols: Rogério (aos 15min do 1/T) e Marcus Vinícius (aos 47 min do 2/T); Michel (aos 31 min do 1/T) e Romão (aos 36 min do 2/T)

Cartões amarelos: Bruno Collaço, Rogério, Auremir e Josa (Náutico); Lima (Portuguesa)

Público: 15.013 Renda: R$ 227.520,00.

Fonte: Naútico News


CESP Carpina
Armazém Loureço
Maxima Contabilidade
Cachorro Quente

Compartilhe nas redes


Deixe seu comentário