Governo de Pernambuco (vacina)
Farmácia Rangel
Falub
Lacca Laboratório
Esportes

Naútico se despede do estádio dos Aflitos com empate nos acréscimos


Naútico se despede do estádio dos Aflitos com empate nos acréscimos

NAÚTICO 2 X 2 PORTUGUESA

 Foto: Divulgação
Nos Aflitos. Foram 1.764 jogos. Sendo 1.138 vitórias, 334 empates e 292 derrotas. Números que nesta domingo (2) não fizeram o diferencial para o Náutico. Os alvirrubros se despediram do seu território com um amargo empate, por 2×2, contra a Portuguesa. A  Lusa também precisava do resultado para tentar se livrar da zona do rebaixamento. O último ato no Eládio de Barros
Carvalho não agradou a ninguém.

Com o resultado, as duas equipes que lutavam para sair da incômoda zona do rebaixamento, continuam abraçados no Z4. Náutico somou o primeiro ponto na competição, mas não largou
a lanterna. O seu adversário passou para a 18ª posição.

Na próxima quarta-feira (5), o Náutico visita o Flamengo, às 22h. No mesmo dia, às 19h30, a portuguesa joga dentro de casa, contra o Internacional.

Dois gols na etapa final marcou a despedida do estádio

Não poderia ser diferente, precisando dos três pontos para se livrar da incômoda zona de rebaixamento, Náutico e Portuguesa, figurantes das últimas colocações da Série A, começaram
a partida com força máxima. Logo aos sete minutos, Marcos Vinicius acionou Jones Carioca que na linha de fundo tentou o passe para Caion que não chegou à bola. Antes do primeiro gol da
partida, a torcida alvirrubra tomou um susto. Cañete encontrou Souza em boa posição. O meio campista encheu o pé, mas o arqueiro Felipe fez uma grande defesa à queima roupa.

No lance seguinte, aos 15 minutos, Rogério explode o caldeirão. Após cruzamento de Jones Carioca, a zaga da Portuguesa bateu cabeça e o atacante alvirrubro, livre de marcação, empurrou de cabeça. Após o gol, as duas equipes continuaram trocando pressão. Primeiro o Timbu, aos 20 minutos, Rogério cruzou para Jones Carioca que bateu forte de perna esquerda.

A bola explodiu no travessão do goleiro Glédson. A resposta veio do volante Correa que tentou da entrada da área, mas sem êxito. O que não estava no texto dos alvirrubros é que no minuto seguinte a Portuguesa empataria a partida. O mesmo Correa que havia tentado o empate no lance anterior chegou na linha de fundo e num cruzamento perfeito deixou Michel livre para marcar. 1×1 nos Aflitos.

O placar igual desestabilizou os alvirrubros. A portuguesa, que não tinha nada a ver com a situação, foi criando as oportunidades. Aos 34, Luis encheu o pé canhoto, a bola passou tente a trave do arqueiro alvirrubro. Momento depois o grande susto. O lateral-direito, Luis Ricardo, bate de primeira por cima do goleiro Felipe e a bola ficou no travessão. Sentindo-se pressionado na partida, o treinador do Náutico, Paulo Silas, promoveu uma alteração. Jones Carioca deu lugar para Rodrigo. Nas arquibancadas vaias e grito de “burro”. Para sorte do Náutico, que tomava pressão, a primeira etapa se encerrava. O que seria uma noite de festa terminou com vaias no primeiro momento.

Segundo tempo

A segunda etapa se iniciou da forma que terminou o primeiro tempo, pressão da Lusa. Com mais ímpeto, os comandados de Edson Pimenta foram criando oportunidades. Pelo lado
direito, novamente, com Luiz Ricardo a portuguesa tentou o gol de desempate. A bola passou no lado direito do goleiro Felipe. A partir desse lance, as duas equipes ficaram desordenadas.

Entre tapas e beijos. Vaias e aplausos, os torcedores do Náutico iam se expressando nas arquibancadas. O coro de “queremos jogador” começou a ser unanimidade entre os mais de 15 mil presentes.

Atendendo aos pedidos, Silas promoveu duas modificações, Bruno Collaço e Caion, vaiados, deixaram o campo. O volante Josa improvisado na lateral e João Paulo, garoto da base, entraram em campo. O que já estava ruim ficou ainda pior. Poucos minutos dentro de campo, Romão cobrou uma falta venenosa a bola desviou em Ferdinando e acabou no fundo das redes. 2×1 para a Portuguesa.

Antes do gol de empate do Náutico e do apito final de Dewson Fernando, a torcida alvirrubra cobrava o presidente Paulo Wanderley, com palavras de baixo calão. Para amenizar o vexame, Marcus Vinícius, no último suspiro, aos 47 minutos empatou a partida. 2×2. Fim do último jogo profissional no Eládio de Barros Carvalho.

Ficha técnica

Náutico 2

Felipe; Maranhão, William Alves, João Filipe e Bruno Collaço (Josa); Auremir, Martinez e Marcos Vinícius; Rogério, Jones Carioca (Rodrigo Souto) e Caion (João Paulo). Técnico: Silas

Portuguesa 2

Gledson; Luis Ricardo, Lima, Valdomiro e Rogério; Correa, Ferdinando, Matheus (Romão) e Souza; Cañete (Henrique) e Michel (Moisés). Técnico Edson Pimenta Local: Estádio dos Aflitos (Recife)

Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)

Assistentes: Cleriston Clay Barreto Rios (SE) e Thiago Gomes Brigido (CE)

Gols: Rogério (aos 15min do 1/T) e Marcus Vinícius (aos 47 min do 2/T); Michel (aos 31 min do 1/T) e Romão (aos 36 min do 2/T)

Cartões amarelos: Bruno Collaço, Rogério, Auremir e Josa (Náutico); Lima (Portuguesa)

Público: 15.013 Renda: R$ 227.520,00.

Fonte: Naútico News


Cachorro Quente
CESP Carpina
Maxima Contabilidade
Armazém Loureço

Compartilhe nas redes


Deixe seu comentário