Farmácia Rangel
Lacca Laboratório
Falub
Esportes

Nos pênaltis, Espanha bate a Itália e decide contra o Brasil


Nos pênaltis, Espanha bate a Itália e decide contra o Brasil

A cidade de Fortaleza, capital do Ceará, recebeu um grande duelo pela semifinal da Copa das Confederações de 2013. Espanha e Itália se enfrentaram na Arena Castelão, e o jogo foi cheio de emoções. Depois de 120 minutos sem gols, mas com muitas chances para ambos os lados, a Espanha conseguiu garantir a vaga na grande final da Copa das Confederações na cobrança de penalidades, vencendo pelo placar de 7 a 6.

O jogo

A partida no Castelão começou de forma que não era esperada pelo público. A Itália teve as melhores oportunidades no primeiro tempo e simplesmente dominou a primeira parte do jogo. Mas o primeiro lance foi espanhol. Aos três minutos, Pedro chutou rasteiro e a bola passou perto do gol de Buffon.

Os italianos responderam aos quatro minutos. Gillardino deixou para Gianccherini, que colocou para fora. Aos dezessete, Pirlo cobrou falta, Barzagli ganhou da defesa espanhola e tentou fazer o gol, mas Casillas já estava atento ao lance. Aos trinta e quatro, Gianccherini colocou Maggio de frente para Casillas. O lateral-direito finalizou de cabeça, mas o goleiro da Espanha fechou o gol e impediu o tento italiano.

Aos trinta e cinco, a Espanha respondeu. Fernando Torres passou por vários marcados da Itália e chutou, a bola passou bem próximo do gol de Buffon e por pouco o placar não foi inaugurado na Arena Castelão. Após este lance, a Seleção Italiana tentou ainda algumas outras vezes, mas parou na marcação espanhola.

No segundo tempo, a Espanha ‘virou’ a história do jogo. A equipe da Fúria foi melhor na etapa final. Logo aos dois minutos, Torres fez boa jogada e passou para Iniesta. O jogador do Barcelona tentou de esquerda, mas o chute saiu muito ruim, sem perigo para Buffon. Aos dezoito, Iniesta passou por dois marcadores, carregou a bola e chutou. Mas a redonda saiu caprichosamente pra fora.

No minuto 39 do segundo tempo, Torres passou para Jesus Navas, que enfiou para Piqué. O zagueirão, no entanto, mostrou que não tem qualidade no ataque e chutou bisonhamente pra fora, perdendo uma grande chance para a Espanha. Aos 44, Navas ganhou da marcação, tocou com Torres que desviou e a bola sobrou para Juan Mata. O atleta do Chelsea, no entanto, finalizou mal, pra fora. Após este lance, fim de partida, e primeiro empate da C. das Confederações de 2013.

Como o empate não define vencedor, a partida foi pra prorrogação. E logo nos primeiros minutos do tempo adicional, a Itália quase marcou. Giacherinni pegou a bola livre na ponta esquerda e bateu forte. A redonda carimbou a trave de Casillas, que somente torceu para a bola não entrar.

Aos oito minutos, a Fúria perdeu talvez a grande chance da partida. Iniesta girou e esperou a chegada de Alba. O lateral pegou a bola livre, na cara de Buffon, e isolou, deixando os torcedores espanhóis com os cabelos de pé. Aos onze, Xavi cobrou falta e Piqué cabeceou pra fora. Três minutos, Xavi tem falta na entrada da área, mas desperdiça a chance ao jogar pra fora.

Na segunda parte da prorrogação, as equipes, já cansadas, sofreram bastante e não conseguiam atacar. Mas aos nove minutos a Espanha quase marcou. Xavi chutou forte, Buffon espalmou e a bola carimbou a trave. No rebote, Navas chutou, e a bola sobrou para Mata, que não conseguiu concluir para o fundo das redes. Após isso, as equipes não conseguiram mais nada e o jogo foi para as penalidades.

Nas cobranças de pênalti, as equipes estavam muito regulares. Na primeira série, todos convertidos, cinco gols de cada lado. Mas nos alternados, na segunda oportunidade, Bonucci jogou pra fora, e Jesus Navas balançou as redes pra colocar a Espanha na grande final da Copa das Confederações, contra o Brasil. O jogo será no próximo domingo, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA
ESPANHA 0 (7) x (6) 0 ITÁLIA

Local: Castelão, em Fortaleza (CE)
Data-Hora: 27/06/2013, às 16h (de Brasília)
Árbitro: Howard Webb (ING)
Auxiliares: Darren Cann (ING) e Mike Mullarkey (ING)
Gols: não houve
Cartões amarelos: De Rossi (ITA), Piqué (ESP)
Cartões vermelhos: não houve

ESPANHA:
Casillas, Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Busquets, Xavi e Iniesta; Pedro (Mata, 33’/2ºT), David Silva (Jesús Navas, 5’/2ºT) e Fernando Torres (Javi Martínez, 3’/1ºP). Técnico: Vicente Del Bosque.

ITÁLIA:
Buffon, Maggio, Chiellini, Barzagli (Montolivo, intervalo) e Bonucci; De Rossi, Marchisio (Aquilani, 33’/2ºT), Pirlo e Candreva; Giaccherini e Gilardino (Giovinco, intervalo para a prorrogação). Técnico: Cesare Prandelli.

Fonte: futnet


Armazém Loureço
Maxima Contabilidade
Cachorro Quente
CESP Carpina

Compartilhe nas redes


Deixe seu comentário