Falub
Farmácia Rangel
Lacca Laboratório
Nacional

Aproximadamente 7 milhões de pessoas ainda não declararam o Imposto de Renda


Aproximadamente 7 milhões de pessoas ainda não declararam o Imposto de RendaMarcello Casal JrAgência Brasil

Nesta quarta-feira (26), foi divulgado pela Receita Federal o balanço de contribuintes que enviaram a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, até então 25.323.371 pessoas já realizaram a declaração, sendo 77,6% do previsto para 2021. Aproximadamente 7 milhões de contribuintes ainda não acertaram as contas a cinco dias para o fim do prazo. Em 2021, o Fisco espera receber até 32.619.749 declarações, aumentando o número em comparação com 2020, que foram enviadas 31.980.146 declarações.

As entregas começaram a ser realizadas em 1 de março, com o prazo final até às 23h59min59s de 31 de maio. A declaração é obrigatória para quem recebeu acima de R$ 28.559,70 em rendimentos tributáveis no ano passado, ou seja, um salário acima de R$ 1.903,98, incluído o décimo terceiro. Quem tenha recebido rendimentos isentos acima de R$ 40 mil em 2020, quem tenha obtido ganho de capital na venda de bens ou realizou operações de qualquer tipo na Bolsa de Valores, quem tenha patrimônio acima de R$ 300 mil até 31 de dezembro do ano passado e quem optou pela isenção de imposto de venda de um imóvel residencial para a compra de um outro imóvel em até 180 dias, também deverá enviar a declaração. Estando sujeito a pagamento de multa de R$ 165,74 ou 1% do imposto devido, prevalecendo o maior valor a quem perder o prazo.

Pelas estimativas da Receita Federal, 60% das declarações terão restituição de imposto, 21% não terão imposto a pagar nem a restituir e 19% terão imposto a pagar. Assim como no ano passado, serão pagos cinco lotes de restituição. Os reembolsos serão distribuídos nas seguintes datas: 31 de maio (primeiro lote), 30 de junho (segundo lote), 30 de julho (terceiro lote), 31 de agosto (quarto lote) e 30 de setembro (quinto lote). As datas não mudaram, mesmo com o adiamento do prazo de entrega da declaração.

Neste ano existe a obrigatoriedade de declarar o auxílio emergencial de quem recebeu mais de R$ 22.847,76 em outros rendimentos tributáveis e a criação de três campos na ficha “Bens e direitos” para o contribuinte informar criptomoedas e outros ativos eletrônicos. O prazo para as empresas, os bancos e as demais instituições financeiras e os planos de saúde fornecerem os comprovantes de rendimentos acabou no fim de fevereiro. O contribuinte também deve juntar recibos, no caso de aluguéis, de pensões, de prestações de serviços, e notas fiscais, usadas para comprovar deduções.


Maxima Contabilidade
Cachorro Quente
Armazém Loureço
CESP Carpina

Compartilhe nas redes


Deixe seu comentário